top of page

Como evitar quedas de pacientes neurológicos em casa



Especialista dá dicas do que ficar atento para uma melhor qualidade de vida do paciente em ambiente domiciliar

De acordo com o documento de prevenção e atendimento imediato, queda é um evento em que a pessoa cai no chão ou em outro nível abaixo daquele em que se encontrava. Quedas podem ocorrer de várias maneiras: da própria altura, da cama, cadeira de rodas, poltronas, vaso sanitário, etc. Por isso, é tão importante tornar o ambiente domiciliar um lugar seguro aos pacientes neurológicos, já que quedas podem causar diversas complicações nesses pacientes, como lesões e fraturas.


Pisos antiderrapantes, ambientes livres de obstáculos, móveis adequados e até o uso de calçados adequados para a movimentação do paciente, são algumas das estratégias que podem evitar quedas. “Os cuidados devem ser redobrados para os pacientes idosos, pois nessa faixa etária o risco de quedas e complicações é ainda maior”, explica a coordenadora do núcleo de fisioterapia do Centro de Excelência em Recuperação Neurológica (CERNE), Tawany Sanches Suzuki.


Ainda segundo a especialista, existem outras estratégias que podem ser adotadas para tornar o ambiente seguro. Abaixo você confere algumas delas:

1. Mantenha a casa o mais organizada possível, evite objetos jogados no chão, objetos ao lado da cama, fios de telefone e eletroeletrônicos em corredores e passagens. Tapetes devem ser evitados e, quando utilizados, precisam ser fixados no chão para evitar que escorreguem. Barras de apoio em chuveiros e próximas ao vaso sanitário também auxiliam o paciente.

2. Evite mesas de centro, vasos e outros móveis ou objetos em que o paciente possa esbarrar. Use cadeiras e poltronas com a altura adequada para facilitar o sentar e levantar.

3. Ilumine a casa, principalmente à noite, luzes em corredores e banheiros são fundamentais para evitar as quedas.

4. Escadas merecem atenção redobrada. Coloque interruptores de luz no começo e no final dela. Cole fitas adesivas antiderrapantes. Instale corrimão por toda a extensão.

5. Quanto a cozinha, deixe tudo ao alcance do paciente, evite o uso de escadas e banquetas no ambiente. Coloque o micro-ondas em uma bancada e não no alto, por exemplo.

6. Evite limpar o chão com produtos que deixem o piso escorregadio, sempre se certifique que o chão está seco após a limpeza, antes de permitir que o paciente circule por esse ambiente.


Por fim, é importante educar pacientes e familiares sobre o risco de queda e suas consequências e, também, sobre como prevenir sua ocorrência. “Realize uma avaliação com um fisioterapeuta e terapeuta ocupacional. Eles irão identificar as dificuldades e prescrever exercícios para diminuir o risco de quedas e sugerir adaptações e modificações que podem ser realizadas em casa, de acordo com cada caso”, finaliza Tawany.

Коментарі


Prancheta_3.png
Prancheta_2.png
Prancheta_7.png
Prancheta_1.png
Prancheta_4.png
Prancheta_4.png
Prancheta_5.png
Prancheta_6.png
bottom of page